“A mistura do branco com a madeira é uma coisa que sempre me encantou: a personalidade da madeira, que, com seus padrões de textura e cor, é única, somada à aspereza e frieza do branco. Quando se contrapõem, criam uma combinação mágica com muita harmonia, em que um elemento valoriza o outro.”

Neste apartamento, o que predomina é o uso da madeira, tanto no piso como em algumas paredes, contrastando com o branco intenso e algumas pitadas de bege. A ausência de cor deve-se à intenção de valorizar a textura da madeira e o desenho do mobiliário.

Temos várias peças de design assinadas, como as poltronas Mole e Diz, de Sergio Rodrigues; a mesa Pigmento, da Ovo; credenza, mesas e cadeiras de jantar de Sergio Fahrer. As luminárias também foram escolhidas a dedo: abajur transparente da Kartell, pendentes recortados a laser de Tord Boontjie, pendentes de Phillipe Starck. Nas mesas, diversos livros de arte e design e cerâmicas assinadas. Obras de arte de Chiara Banfi e Graziela Pinto.

O projeto foi concebido como um todo, de forma que a arquitetura permeia a decoração, o design, e vice-versa.

O conceito do projeto estende-se desde a arquitetura, com grandes portas de correr que parecem painéis separando o living da sala de jantar e home theater, a iluminação teatral, o uso dos materiais, as peças de design e obras de arte escolhidas a dedo, até a decoração, que entra como parte desse todo.

Divulgue, Compartilhe seu conhecimento: