top of page

ARTE E INTERIORES

Arte é uma forma de expressão. Expressão para quem faz, para quem tem e olha, para quem convive. Quando alguém compra uma obra de arte é como se pegasse emprestado a voz do artista. É um statement ou, em um plano mais simplista, simplesmente ter em casa algo que acha bonito. De qualquer forma a arte está lá para dizer alguma coisa através da composição, das cores, ou da textura. Aqui três ideias para incluir arte na sua casa.



"Quando você compra uma obra de arte, pega emprestada a voz do artista."



Monet, uma história de amor


O primeiro pintor que me apaixonei foi Monet, devia ter uns 11 anos, durante uma viagem para Paris com minha família. Visitamos o Museu D’Orsay, no L’orangerie, e fiquei encantada com o impressionismo. Passei horas e horas vendo as obras e de alguma forma fui influenciada para sempre. Com o tempo e o estudo, comecei a apreciar vários outros tipos de arte e movimentos; mas até hoje me emociono ao ver uma obra impressionista.


Acredito que há duas formas de se relacionar com arte. A parte sensitiva, que é o que a obra te passa, como te faz sentir. E também a inserção histórica e a influência sobre as pessoas e o modo de vida de uma época. Ao conhecer esse outro lado, é possível enxergar uma obra não pelo resultado estético, mas por aquilo que representou. Por exemplo, o Mictório de Duchamps. Uma criança certamente não entende como o Mictório pode ser considerado arte. Mas quando se sabe o que levou Duchamps a criar o Mictório, a repercussão e a influência que tem até hoje, o ponto de vista muda completamente. Eu pessoalmente acho genial.


"Tem obras de arte que são incríveis mas não teria em casa. Às vezes passam sentimentos não muito legais ou remetem a algo que evito lembrar. Mas arte é vida, tem o poder de despertar a nossa curiosidade para outros universos."





Em uma sala ampla


Uma sala ampla como a de um apartamento antigo permite brincar com diferentes tipos e formatos de arte. Ao mesmo tempo, pode parecer difícil preencher e combinar informações diferentes. A primeira coisa é manter a base neutra. Depois, é preciso entender que não existe regra para combinar arte. Arte é arte. A ideia aqui foi organizar os quadros de acordo a disposição dos móveis, como se um apoiasse o outro. As mesinhas laterais, além de quebrar a hegemonia das telas e móveis retos, ajudam a delimitar espaços e “separar” as obras. Elas eram de madeira e foram laqueadas.




Mix de quadros e molduras


Pra quem acha que tipo, cor e forma de molduras tem q ser combinadas, dá uma olhada nessa obra incrivel de Albano Alfonso que ocupa uma parede da sala da casa de um casal de colecionadores de arte. Sim, é uma obra só, mas as molduras tem cores diferentes e também tamanhos diferentes de paspatour (quando eles são usados). Em comum, o tom das fotos. Para valorizar o efeito geométrico da composição, optei por uma dupla de poltronas iguais, uma em cada lado, e um aparador de linhas retas, todos brancos.





No quarto das crianças


Esse video incrivel é um dos grafites feitos para os quartos de três crianças da mesma família. Elas escolheram os temas e o artista Arnaldo Gasperi deu vida às obras. Acho incrível como a arte pode ser plural e encantar a todos, especialmente as crianças. Como falei no texto acima, meus pais me levavam para ver arte desde que era muito pequena e aprendi a apreciar diferentes formas de expressão artística. Por isso acho fundamental as crianças terem contato com esse universo desde cedo. Arte traz conhecimento sobre história da humanidade, desenvolve gosto e opinião, e possibilita saber e não ter receio de se expressar.



Gostou do post? Deixe seu comentário, vou adorar saber de você.

Um beijo.

Carla



コメント


bottom of page